Quanto um carro antigo custaria nos dias de hoje

Quando escrevi o artigo sobre a Cronologia da Puma, inclui uma tabela com o preço de alguns modelos da época. Isto me fez imaginar o quanto carros daquela época custariam nos dias de hoje e fui pesquisar. O resultado é a tabela que você confere logo abaixo. Ela trás o valor de 22 modelos com seus preços em maio de 1979* e seus preços atualizados nos dias de hoje (2011). É interessante perceber que os carros não eram tão mais caros do que são hoje, mas se levarmos em conta o que ofereciam em termos de tecnologia, conforto e segurança, tinham sim um preço “desonesto”.

Comprando o tão sonhado  carro

Dizem que hoje em dia é muito mais fácil ter um carro do que a trinta anos atrás. Os preços eram mais ou menos iguais a hoje e o salário mínimo da época, era até um pouco mais generoso, mas o financiamento limitado a até 12 vezes era o que dificultava a compra. Neste panorama, comprar um Fusca significava arcar com parcelas mensais de R$ 1.883. Ou desembolsar o equivalente a R$ 9.116 todo mês para pagar cada parcela de um Ford Landau zerinho. Hoje em dia, o financiamento chega a 60 meses (ou mais) e a parcela de um carro zero fica em torno de 700 reais, o que torna o automóvel um bem mais acessível à maioria dos trabalhadores, mas mesmo assim, a modernização da fabricação não garantiu a diminuição do preço final.

Entenda a tabela

  • A coluna laranja “preço” mostra o valor dos modelos em Cr$ (Cruzeiros) em maio de 1979*
  • A coluna com círculos laranjas “salários” mostra quantos salários mínimos da época eram necessários para comprar determinado modelo em 1979, como por exemplo: para comprar um Maverick GT, o cidadão deveria juntar 75 salários mínimos;
  • A coluna azul “preço” mostra o preço dos carros nos dias atuais em reais;
  • A coluna com círculos azuis “salários” mostra quantos salários mínimos de hoje seriam necessários para comprar determinado modelo;
  • As estrelas à direita da tabela, mostram o valor do salário mínimo atual: R$ 545,00 (em azul); do salário mínimo em maio de 1979: Cr$ 2.268,00 (em laranja) e do salário mínimo de 1979 atualizado em reais (em rosa).
  • O retângulo vermelho mostra a inflação entre 1979 e 2011.
Este estudo serve para mostrar que pouca coisa mudou em relação ao preço final ao consumidor: tudo continua caro, inclusive, um trabalhador hoje precisaria juntar cerca de 41 salários mínimos atuais para comprar um Fusca, enquanto um cidadão lá em 1979 juntaria “apenas” 37 salários mínimos da época.

____________________________________________________________________________________________

Fontes: http://www.uel.br/proaf/informacoes/indices/salminimo.htm
http://almanaque.folha.uol.com.br/dinheiro30.htm
http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/03/bc-sobe-previsao-de-inflacao-para-2011.html
http://www.igf.com.br/calculadoras/conversor/conversor.htm
http://www.forumnow.com.br/vip/mensagens.asp?forum=131836&grupo=247369&topico=3019748&pag=2&v=1

Anúncios

Carros retrô

A onda do momento é o retrô. Fotos, roupas, acessórios, mobílias, eletrônicos… tudo com aquele design remetendo ao passado. No mundo dos carros esta tendência vem acontecendo desde 1997 com o New Beetle da Volkswagen e ganhou ainda mais força agora nos anos 2000. Confira os modelos retrô mais aclamados pelo público e pela crítica.

Lançado em 1998 sobre a plataforma do Golf IV, o New Beetle foi uma reedição do antigo Fusca lançado na década de 1950. Ao contrário do modelo original criado para ser um carro popular, o New Beetle nasceu para ser um “brinquedo de luxo”. Se o design do Fusca foi eficiente para torná-lo um ícone e mantê-lo em produção por mais de 50 anos , o mesmo aconteceu com seu sucessor que recebeu um retoque visual apenas em 2006, oito anos após seu lançamento. Agora em 2011, o New Beetle entra numa nova geração.

Conhece o Chrysler C18? Nem eu! Ele não foi nenhuma peça pop como o Fusca, mas no ano 2000 recebeu uma releitura moderna, o PT Cruiser. O design original foi tão preservado que ao olhar para o PT Cruiser não tem como não ligá-lo à década de 1930. Neste caso, o sucessor fez mais sucesso do que seu ancestral.

O Fiat 500 pode ser considerado o “Fusca italiano”, onde foi criado para ser um carro acessível no pós-guerra. Com um design carismático, diminuto e motor traseiro, ele escreveu sua história e em 2007 a Fiat resolveu trazê-lo de volta. Mas assim como aconteceu com o New Beetle da Volkswagen, o Cinquecento voltou como um sofisticado carrinho de luxo: o desenho original recebeu traços modernos, o motor passou para a frente e o tamanho espartano foi preservado… e o carisma também!

Lançado em fins da década de 1950, o Mini é outro de plebeu que se tornou aristocrata.  Na época de seu lançamento a crítica especializada não entendeu o porquê de um carro tão diminuto, mas de qualquer forma seu conceito (pequeno por fora, grande por dentro) era uma previsão bem acertada da Morris (sua fabricante na época) de como viria a ser um automóvel urbano no futuro. O design e o carisma do modelo foi tão bem sucedido que a primeira geração foi fabricada até 2000 quando passou por uma profunda reformulação que resultou na geração atual. Seu sucesso começou ainda na década de 1960 quando fez sucesso em provas de rali e continuou quando se tornou o carro do Mr. Beam na série homônima da TV inglesa. Após sua reedição em 2000 se tornou objeto de desejo e ganhou varias versões desde então.

Tido como o primeiro pony car da história, o Ford Mustang fez sucesso ao redor do mundo e se tornou objeto de desejo de marmanjos do mundo inteiro. Com o passar dos anos, recebeu várias reestilizações de acordo com a época vigente, mas nenhuma foi tão impactante quanto a 5ª Geração de 2005 que resgatou as linhas do primeiro Mustang e que reforçou a onda retrô entre os carros norte-americanos.

Se o Ford Mustang ganhou uma reedição “século 21”, porque seu arquirrival não ganharia? Pois a Chevrolet foi à luta e apresentou o New Camaro, que não só a ajudou a sair da crise financeira que vinha passando, mas causou grande impacto na concorrência e se tornou ícone instantâneo entre os apreciadores de esportivos no mundo todo. A receita foi seguida: manter o design original, mas com o design arrojado do século 21.

Aqui é só especulação, mas a Volkswagen apresentou o conceito Bulli, uma releitura atual da velha Kombi. Dependendo da reação da crítica e do público, pode a vir se tornar um carro de nicho, assim como aconteceu com o New Beetle. Saudosistas do mundo inteiro agradeceriam.

O Citroën 2CV é tão feio que chega a ser bonito, e se não foi sucesso de crítica por seu design… estranho, vendeu quase 9 milhões de unidades enquanto foi produzido (de 1948 a 1990) e isso seria um bom argumento para a Citroën entrar na onda da ressuscitação automotiva e trazer o pequeno 2Cv de volta. O carro-conceito do que seria o 2CV do século 21 já foi mostrado, só falta produzir.

 

Idade & sucesso

Vivemos numa época de ansiedade. Como sempre aconteceu na história da humanidade, todos corremos atrás do sucesso. Mas o mundo nunca esteve tão populoso, tão competitivo e exigente como hoje. Atualmente vemos crianças enclausuradas nas escolas em tempo integral aprendendo línguas estrangeiras, noções de economia, administração… e sofrendo de stress devido às cobranças que começam cada vez mais cedo, pois são crescem com a obrigação de serm bem-sucedidas. Histórias de prodígios que alcançam o sucesso e fortuna muito cedo pressionam as pessoas comuns cada vez mais. “Estou com 31 anos, já não deveria ter um belo patrimônio e muito dinheiro guardado? Já não deveria ter realizado a grande obra de minha vida?”  Muitas pessoas até mais jovens se fazem esta pergunta, mas se olharmos para trás veremos que grandes personalidades da história realizaram sua obra-prima que os lançariam ao sucesso em diversas idades e muitos deles em idade madura. Portanto, se você é jovem e tem aquela impressão de que o tempo está passando e seus esforços não estão mostrando resultados, relaxe e veja com que idade alguns gênios realizaram seus feitos:

Charles Spencer Chaplin foi o maior gênio do cinema (na minha opinião) e parte de seu sucesso se deve ao Carlitos, o personagem que o imortalizou e que estreou em suas obras quando Chaplin tinha apenas 24 anos.

Gottlieb Daimler já tinha 52 anos quando construiu seu primeiro veículo de quatro rodas, aquele que seria um dos primeiros automóveis bem-sucedidos do mundo.

É difícil e injusto dizer qual o maior feito realizado por Leonardo Da Vinci, portanto vamos considerar sua obra mais notória: a Mona Lisa, pintada quando ele tinha aproximadamente 55 anos.

Albert Einstein precisou de “apenas” 37 anos para realizar sua obra-prima, aquela que mudaria os conceitos da Física para sempre: a Teoria Geral da Realtividade.

O primeiro filme de Guerra nas Estrelas estreou em 1977, quando George Lucas tinha 33 anos.

Karl Marx, o pai dos comunistas lançou sua grande obra (O Capital) já na meia idade, aos 49 anos.

Ferdinand Porsche era quase um idoso quando finalmente desenvolveu o primeiro Fusca, aquele que seria um dos automóveis mais emblemáticos e revolucionários da história e embrião de outra lenda: o Porsche 352 que alçaria a Porsche aos status que tem hoje.

O cartunista Charles M. Schulz criou o Snoopy aos 27 anos. Pode parecer cedo demais, mas se considerarmos que Schulz desenhava desde criança, chegamos à conclusão de que ele precisou de 20 anos paraobter sua grande realização.

Ayrton Senna também precisou de 15 anos de aprimoramento até conquistar seu primeiro título aos 28 anos.

Se hoje vemos exemplos de sucesso e fortuna alcançados muito cedo e em muito pouco tempo, como Mark Zuckerberg que por acidente criou o Facebook ainda na adolescencia ou da dupla Brin/Page do Google…por outro lado vemos que outros realizadores levaram vários anos ou uma vida inteira para amadurecer sua arte e alcançar sua obra-prima. E pouco importa a natureza do sucesso de cada um ou o que significou para a humanidade, o ponto importante aqui, é chegar à conclusão de que tudo depende de tempo e esforço para acontecer. =)