Mundo da cerveja


ALES

As cervejas do tipo Ale (pronuncia-se “êils”)  são fabricadas pela fermentação dos cereais a temperatura ambiente e apresentam alta fermentação. O trigo foi a primeira matéria-prima, mas a cevada em forma de malte foi a que mais se popularizou. Com a fermentação rápida, as cervejas deste tipo ganham um sabor frutado, encorpado e adocicado.

Hefe weiss – Tradicional cerveja de trigo que não passa por processo de filtragem. As kristall weiss passam pela filtragem.

Dunkel weizen – (cerveja de trigo) são elaboradas com grande proporção de trigo e cevada maltada. O termo dunkel indica a versão escura e mais alcoólica das cervejas de trigo.

Brown ale – as brown ale são muito apreciadas nos países britânicos. O termo se refere às cervejas de coloração âmbar ou marrom, e são elaboradas com 100% de maltes marrons.

Pale ale – caracterizadas pela alta fermentação e uso de maltes claros. O resultado é uma cerveja clara e cristalina. As pale ale são uma das mais populares do mundo.

India pale ale – também conhecidas pela sigla IPA, esta cerveja foi elaborada na Inglaterra do século 19 para ser exportada até a India (na época colônia inglesa). Mas para que o produto não estragasse durante a longa viagem, adcionou-se mais álcool e lúpulo (dá o sabor amargo) e serve como conservante. O resultado ficou bom e este tipo de cerveja é produzido até hoje.

Stout – cerveja escura elaborada com malte torrado ou cevada, lúpulo, água e fermento. Stout é um termo genérico para cervejas porters fortes ou encorpadas com teor entre 7% ou 8%.

Dry stout – as cervejas do tipo dry stout, também conhecidas como irish stout tem um sabor parecido com o café torrado e seu teor alcoólico é considerado leve. Guiness, Murphy’s e Beamish sao os exemplos mais tradicionais deste tipo de cerveja.

Sweet porter – esta variação da ale contém lactose, um açúcar derivado do leite, o que lhe confere um sabor adocicado. Por isso também são conhecidas como milk stout ou cream stout. Este tipo de cerveja é considerada nutritiva por conta das calorias que a lactose dão ao produto final. A mais tradicional é a Mackeson’s.

Belgian pale ale – apresentam o mesmo processo de fermentação das ales alemãs, mas com uma adição de sucralose, o que aumenta o teor alcoólico, e proporciona um sabor quase neutro.

Belgian strong ale – a coloração pode variar do pálido ao marrom mais escuro, isto por ser adoçada com açúcar escuro. O sabor do lúpulo pode variar entre baixo ao alto, enquanto o aroma do lúpulo é baixo.

Bière de Champagnhe – as cervejas champagne são elaboradas na Bélgica como produto premium. Este tipo de cerveja é fermentada por um mês com dois tipos de fermento, re-fermentada próximo à cidade de Épernay (região de Champagne, França) e engarrafadas, onde ficarão numa adega por nove meses e rotacionadas semanalmente, e por fim tem o fermento retirado.

LAGERS

Outro grupo de cervejas são as lagers que apresentam baixa fermentação e passam pelo processo de fermentação a baixas temperaturas, ao contrário das ales, fermentadas em temperatura ambiente. O termo lager vem do idioma alemão e significa “estocar”, isto porque originalmente algumas cervejas eram estocadas em cavernas frias para passarem pelo processo de fermentação.

Pilsner – também conhecida como pilsen ou pils, são  cervejas de baixa fermentação. São utilizadas combinações de lúpulos como o Saaz,  Tettnanger, Spalt, Hersbrucker, Hallertau, Nugget, Cluster e Perle. Sendo que alguns tipos de lúpulo dão o amargor enquanto outros garantem o aroma. A graduação alcoólica deve ficar entre 4,5% e 5,5% e a fermentação deve ocorrer entre 10 e 12ºC. As pilsner deram origem às populares lagers brasileiras e americanas

Lagers brasileiras e americanas – aqui entra uma gambiarra, misturando arroz e outros vegetais para fermentar com a cevada para baratear a produção, o que tornou esta classe de cerveja, a mais consumida do mundo (Antarctica, Brahma, Kaiser, Itaipava, Original)

Lagers européias – como Heineken, Stella Artois e Norteña utilizam cevada pura e todas as cervejas produzidas assim, recebem esta denominação, mesmo as produzidas em outros países, como cervejas premium brasileiras e mexicanas.

Bock – são lagers escuras e com sabores quase tão complexos  quanto o das ales, mas ainda assim mais suaves do que elas. As do tipo bock apresentam cores entre o cobre e avermelhado, com sabor adocicado. A bock tradicional é relativamente forte (6,3% a 7,2% por volume) com leve teor de amargor. A doppelbock é uma versão mais forte da bock tradicional com teor alcoólico entre 7% e 12%. A coloração pode variar do dourado escuro na versão clara e marrom escuro com tons vermelhos na versão escura. Já as do tipo eisbock são parcialmente congeladas e tem os cristais de gelo retirados para acentuar o sabor e o teor alcoólico que pode variar entre 9% e 43%.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s