Lomografia

Esqueça as poses, o enquadramento, o estudo de luz e sombra para se obter uma boa fotografia: a lomografia é o contrário de tudo isto.

A lomografia é a arte de retratar imagens do cotidiano de forma espontânea e sem regras. A idéia básica da lomografia é retratar com diversão, espontaneidade e improvisação. Tudo começou em 1982 quando o Ministério da Defesa russo ordenou à fábrica LOMO de armas e produtos óticos que fabricassem uma versão improvisada da câmera Cosina CX-1, sendo batizado de LOMO LC-A. Até aí, a Lomo era apenas uma câmera ordinária com lentes de plástico fabricada na Rússia e exportada para outros países comunistas do leste europeu. A Lomo se tornou pop em 1991, quando dois estudantes vienenses passeavam por Praga e compraram uma destas máquinas e começaram a fotografar de todas as maneiras. Quando revelaram os filmes, ficaram surpresos com as fotos de estranha beleza: contrastes marcantes e cores saturadas. As perguntas logo começaram a surgir e em pouco tempo, todos queriam ter uma Lomo: nascia a Sociedade Lomográfica Internacional em Viena.

As 10 Regras de Ouro da Lomografia

Todo site ou artigo que você pesquisar sobre lomografia, irá listar as tais “dez regras de ouro da lomografia”. Na verdade, até os lomógrafos tiram onda destas tais regras, já que elas não existem, pois na lomografia, não existem regras de como fotografar. Então, esqueça as 10 regras. O negócio é fotografar sem planejar o resultado das fotos. Mas se quiser conhecer as dez benditas regras de ouro que “definem oficialmente” a arte da lomografia, veja no site oficial Lomography.org

Lomografia para todos

A lomografia pode ser considerada uma arte popular, já que está ao alcance de qualquer um que tiver uma câmera analógica na mão (não necessariamente mente uma Lomo). E que não exige conhecimento técnico e artístico previamente adquirido como nas artes plásticas ou literatura, onde o artista deve se preparar por anos antes de chegar a um ponto de qualidade. Na lomografia qualquer trabalho atinge status de arte.

A Lomo

Ela não é digital, tem lentes baratas, deixa vazar luz no filme, produz fotos com cores saturadas e estranhas sombras escuras ao redor, além de outros defeitos que tornam as lomografias tão peculiares e bacanas. Os resultados inesperados e surpreendentes de cada lomografia é o que torna a Lomo tão especial. São os “defeitos” que as máquinas digitais nunca reproduzirão: bem vindo ao mundo analógico!

.

Veredicto: ” de câmara fotográfica ordinária a instrumento de arte pop”

________________________________________________________________

Artigo relacionado: Máquinas lomográficas

Fonte: www.lomography.com.br

Anúncios

4 comentários

  1. Signafob · dezembro 17, 2010

    A coloração das fotos é muito bonita, estes defeitos típicos das máquinas analógicas são nostálgicos e tornam as fotos muito interessantes, verdadeiras. As fotos perfeitas das máquinas digitais parecem não ter alma. Gostei de conhecer este estilo de fotografia.

  2. Pingback: Lomografia « Caminhos da Lu
  3. Pingback: Lomo machines « Levi's Original
  4. Pingback: Ferrótipo « Bistury Wordpress

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s